Ações de 2012

Ações 2017

 

Ação 01/2012

Aprimorar o sistema nacional de combate ao suborno transnacional para adequação às obrigações internacionais, especialmente no âmbito da Convenção da OCDE.

Órgão Coordenador: CGU e MPF

Órgãos Colaboradores: ADPF, AGU, AJUFE, ANPR, COAF, CVM, DPF e DRCI

 

Ação 02/2012

Elaborar roteiro de boas práticas em contratações públicas, prioritariamente voltadas para a prevenção da corrupção.

Órgão Coordenador: CÂMARA DOS DEPUTADOS

Órgãos Colaboradores: ADPF, AGU, ANAPE, CGU, CJF, CNJ, CONJUR, DPF, ESMPU, GNCOC, MD, MPF, MPOG, PGFN, SDE, SUSEP e TCU

 

Ação 03/2012

Criar meios para coibir a contratação indevida de pessoas físicas ou jurídicas e a ocupação indevida de cargos públicos por pessoas condenadas em sede civil, criminal ou administrativa.

Órgão Coordenador: TCU

Órgãos Colaboradores: ABIN, AGU, CÂMARA, CGU, CNJ, CNMP, CVM,

MP/MG, MPF, MPOG, PGFN e SDE

 

Ação 04/2012

Aferir a situação da exposição de risco do País à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo, para detectar áreas, mercados e setores econômicos que necessitem de adequações operacionais, regulamentares ou legislativas, especialmente em decorrência da Copa das Confederações de 2013, Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016.

Órgão Coordenador: ABIN e BACEN

Órgãos Colaboradores: ADPF, ANPR, COAF, CVM, DPF, DRCI, FEBRABAN, GNCOC, MD, MP/SP, MPF, PGFN, PREVIC, RFB, SUSEP e TCU

 

Ação 05/2012

Identificar e elaborar diagnóstico dos fundos existentes, nos âmbitos federal e estadual, de arrecadação e administração de bens, valores e direitos, oriundos de práticas ilícitas, de forma a verificar a necessidade e viabilidade de instituição de fundo específico para o combate à corrupção e à lavagem de dinheiro ou de readequação dos já existentes.

Órgão Coordenador: GNCOC

Órgãos Colaboradores: ADPF, AJUFE, CNJ, CNMP, CONJUR, DPF, DRCI,

FPCC/RS, INSS, MP/MG, MP/RS, MP/SP, MPF, PC/RS, PGFN, RFB, SDE, SENAD e STN (convidar)

 

Ação 06/2012

Elaborar manuais de atuação conjunta entre os órgãos públicos em investigações de lavagem de dinheiro e corrupção.

Órgão Coordenador: ESMPU ou MPF

Órgãos Colaboradores: ABIN, ADPF, AGU, AJUFE, ANAPE, BACEN, CGU, CNMP, COAF, CVM, DPF, DRCI, ESMPU, GNCOC, LAB-LD, MD, [MS] (convidar), MP/RJ, MP/RS, MP/SP, MPF, MPOG, MPS, PC/RJPC-RS, PGFN, RFB e TCU

 

Ação 07/2012

Uniformizar tabelas de bens apreendidos entre as polícias.

Órgão Coordenador: CONCPC e DPF

Órgãos Colaboradores: ADPF, AJUFE, CJF, CNJ, PC/RS e SENAD

 

Ação 08/2012

Aprimorar o Sistema Nacional de Bens Apreendidos – SNBA, integrando-o com as bases de apreensões da Receita Federal, do Departamento de Polícia Federal e de ao menos duas polícias civis.

Órgão Coordenador: CNJ

Órgãos Colaboradores: ADPF, AJUFE, CJF, CONCPC, DPF, PC/RJ, PC/RS, PGFN, RFB e SENAD

 

Ação 09/2012

Uniformizar e regulamentar os procedimentos de apreensão, transporte, custódia, conversibilidade e destinação de moeda nacional e estrangeira e de outros valores.

Órgão Coordenador: BACEN

Órgãos Colaboradores: ADPF, AJUFE ANPR, BB, CEF, CNJ, CNMP, CONCPC, DPF, FEBRABAN, MPF, RFB e SENAD

Ação 10/2012

Viabilizar a consulta pelos participantes da ENCCLA a cadastros informatizados centralizados de cartórios de registro de imóveis.

Órgão Coordenador: CNJ

Órgãos Colaboradores: ADPF, AGU, ANAPE, CGU, CJF, CNMP, CONCPC, DPF, GNCOC, INSS, LAB-LD, MP/SP, MPF, MPS, PGFN, RFB, SENAD e TCU

 

Ação 11/2012

Criar mecanismos normativos para a interligação dos cartórios de notas informatizados, de acordo com o modelo do Colégio Notarial do Brasil.

Órgão Coordenador: Corregedoria do CNJ

Órgãos Colaboradores: AGU, CJF, COAF E PGFN

 

Ação 12/2012

Elaborar plano de comunicação institucional e divulgação da ENCCLA.

 

Órgão Coordenador: DRCI

Órgãos Colaboradores: membros do GGI e Rede LAB-LD

 

Ação 13/2012

Estabelecer requisitos de sistema para formação de cadastro de Pessoas Expostas Politicamente (PEPs).

Órgão Coordenador: CGU/COAF

Órgãos Colaboradores: BACEN, CJF, CNJ, CVM, FEBRABAN, MPF

PGFN, PREVIC, RFB, STF, SUSEP E TCU

 

Ação 14/2012

Mapear e analisar o tratamento dado a testemunhas, noticiantes, informantes e colaboradores, no ordenamento jurídico brasileiro e pelo direito comparado, nas esferas cível, penal e administrativa, bem como nos projetos de lei em andamento, com vistas a identificar as lacunas na legislação para eventual elaboração de anteprojeto de lei.

Órgão Coordenador: MP/RJ

Órgãos Colaboradores: ADPF, AGU, AJUFE, CNMP, CONJUR, DPF, FPCC/RS, GNCOC, MP/RS, MP/SP, MPF, PC/RJ, PC/RS, PGFN, RFB, SAL,

SDH, SRJ e TCU

 

Recomendação 1/2012

A Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro – Enccla recomenda aos entes de todos os poderes e de todas as esferas de governo que incluam em seus procedimentos de nomeação e publicação nos Diários Oficiais o número do CPF das pessoas nomeadas ou exoneradas de cargos públicos e funções de confiança, respeitadas as exceções previstas em lei, visando a elaboração de lista de pessoas expostas politicamente, bem como viabilizar a implementação de rotinas de controle.

 

Recomendação 2/2012

Considerando a lesividade para o Estado Democrático de Direito e as graves consequências dos delitos de terrorismo, em todas as suas formas;

Considerando que o processo de avaliação mútua do Brasil pelo GAFI, ora em andamento, entre as deficiências e vulnerabilidades apontadas, destacou a ausência da tipificação do terrorismo e seu financiamento;

Considerando os 14 tratados ratificados pelo País, nos quais se comprometeu a tipificar e combater o delito de terrorismo;

Considerando as Resoluções 1267, 1269, 1333, 1363, 1373, 1390, 1452, 1455, 1526, 1566, 1617, 1624, 1699, 1730, 1735, 1822, 1904, 1988 e 1989, do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas;

Considerando os riscos de lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo, em função da Copa 2014 e Olimpíada 2016;

Considerando o papel crescentemente importante do País no cenário internacional, inclusive, reivindicando assento permanente no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas;

A Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro – Enccla recomenda, em caráter de urgência, a tipificação do financiamento ao terrorismo e às organizações terroristas.

 

Recomendação 3/2012

A Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla) recomenda a imediata implementação de normatização para o provimento de todos os cargos em comissão e funções de confiança, tendo por base, dentre outros, os critérios estabelecidos na Lei da Ficha Limpa.

 

Recomendação 4/2012

Considerando o direito à razoável duração do processo, expresso no artigo 5º, LXXVIII, da Constituição Federal;

Considerando que o excessivo número de recursos e a duração não razoável dos processos causam graves problemas à efetividade do sistema de combate à corrupção e à lavagem de dinheiro e contribuem para a impunidade;

Considerando que a demora no trânsito em julgado tem sido apontada pelos organismos internacionais como deficiência do sistema brasileiro de combate à corrupção e à lavagem de dinheiro;

Considerando que a ausência de coisa julgada consiste em obstáculo à repatriação de bens de origem ilícita;

A Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro – Enccla exorta os membros do Congresso Nacional a que, com prioridade, discutam o sistema recursal judicial, em especial, a questão relativa ao trânsito em julgado.

Ações do documento
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Os comentários são moderados previamente e publicados em seguida.

Agenda
Dezembro
DoSeTeQuQuSeSa
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31
Flickr da ENCCLA
Flickr